Jehozadak Pereira.com

O xixi do tigre

Posted on: May 30, 2007


Nunca na história política brasileira e em tempos de democracia se viram tantos escândalos num só governo – não que necessariamente o presidente da república esteja envolvido em cada um deles, como tem acontecido atualmente.

E o que não falta é escândalo. Mensalão e Caixa 2, Correios, Instituto de Resseguros do Brasil, Bingos, Sanguessugas, Dossiê Vedoin, entre outros e as operações da Polícia Federal prendendo empresários, políticos e desmantelando esquemas de corrupção em todos os níveis da vida pública e geralmente apontando o envolvimento de alguma autoridade.

As recentes operações da PF – Hurricane e Navalha, mostraram muita coisa, principalmente que a corrupção atingiu níveis insuportáveis e inéditos que faz lembrar a Colômbia na época de Pablo Escobar. Uma das frases prediletas de Escobar era o plomo o plata. Ou numa tradução literal ou chumbo ou dinheiro. A frase peculiar marcava o oferecimento que Escobar fazia ou manda fazer para autoridades policiais, judiciárias, executivas e legislativas. Quem colaborava e se deixava subornar tinha a garantia que não lhe faltaria dinheiro, quem se negava a cooperar era sumariamente eliminado. E muitos foram eliminados por não se sujeitarem aos caprichos de El Jefe, como Escobar era conhecido.

Se a motivação de quem aceitava a plata de Escobar era o medo, o mesmo não se pode dizer de alguns figurões da política brasileira.

Basta ir pesquisar na imprensa internacional para ver que nenhuma democracia em qualquer lugar do mundo tem tantos escândalos como o Brasil, nem nas republiquetas africanas ou nas ditaduras de terceiro mundo se vê tanta bagunça. Se saírmos um pouco da política, vamos encontrar a questão da segurança pública nas ruas do Rio de Janeiro e São Paulo, onde a população e as pessoas de bem definitivamente viraram reféns dos bandidos e traficantes que encastelados nos morros e favelas disparam contra a polícia que tem medo de entrar e os tiroteios duram dias inteiros, até que os bandidos se cansem. Já em São Paulo, o crime é comandado de dentro da cadeia, e se algum chefão é contrariado, certamente algum desdobramento vai acontecer.

A ousadia e o descaramento com que o estado de direito é enfrentado e as leis são violadas não encontra parâmetros nem na ditadura, onde os governantes tinham os pudores de não proporcionar escândalos e nem o terrorismo de afrontar acintosamente o estado.

Naquele período negro as autoridades defendiam o estado com unhas e dentes, e o terrorismo e a oposição faziam de tudo para desestabilizar a ditadura. Tinham lá as suas motivações e não deixaram saudades nenhuma.

Os escândalos servem para depurar a democracia e mostrar quem é quem de fato. Mas no Brasil as coisas já passaram dos limites há muito tempo. Uma pergunta se faz necessária. Por que acontecem tantos escândalos? A resposta é simples. É por causa da omissão do estado e dos poderes constituidos que com raras excessões não se corrompem e sobretudo, pela falta de delimitação entre o certo e o duvidoso, entre a legalidade e o crime, o que faz com que tudo seja extremamente parecido. Há também a certeza de impunidade que faz com que raramente alguém pilhado em qualquer escândalo seja condenado e obrigado a devolver o dinheiro roubado.

Falta às autoridades fazer como o tigre que para demarcar o seu território faz xixi em todos os lugares que pode fazer, e ai de quem se atrever a invadir os seus limites. O odor característico da urina servirá de aviso, e quem transgredir não terá uma segunda chance. E poucos tem a ousadia de fazê-lo.

É assim que funciona no mundo todo, onde o verdadeiro estado de direito que é sagrado se impõe e tem de necessariamente ser respeitado. Só no Brasil que não…

Advertisements

2 Responses to "O xixi do tigre"

olá!
concordo que a corrupção transmitida pela mídia não agrada nada. No entanto, dizer que hj a corrupção é maior que a de 20, 30 anos ou 90 anos atrás é muito complicado. Complicado demais. A corrupção é algo intrínseco à política nacional – passando pela lógica do apadrinhamento, da camaradagem, da noção patrimonialista sobre o bem público. Um bom exemplo é o sincero o ademar barros: “eu roubo, mas faço”. A grande diferença hj é q isso está sendo televisionado. O esquema do mensalão, por exemplo, já deve ter mais de vinte anos de existência, mas só agora veio à público. E pq será? Possivelmente existem interresses de determinados políticos ou grupos por trás disso.
Além disso, dizer que os generais da revolução defendiam o estado e a constituição é algo igualmente complicado! Pra mim, foi tudo questão de oportunismo. Em 64 eles defendiam a constituição pq os movimentos e grupos populares de esquerda estavam pelo confronto e pela implantação de um governo de esquerda com executivo forte. Para os generais não importava defender a constituição, mas manter a “ordem”, como o tentaram fazer em 61, quando o Jânio decidiu sair do governo e o j. Goulart deveria tomar a presidência, oportunidade na qual pretendiam dar um golpe de estado e quebrar a constituição, mas foram impedidos pela rede da legalidade.
Para mim a grande questão não é defender o estado ou a ordem, mas é defender a “ordem de quem”. Por exemplo, usar a polícia para impedir que estudantes lutem pelos seus direitos tomando reitorias pode ser manter a ordem dos que pretendem um estado mínimo, mas pode ser atentar contra a ordem dos que defendem um estado que garanta aos cidadãos o acesso ao edicação, à saúde, ao trabalho, etc. Às vezes – quase sempre -, a ordem de uns pode ser o caos da maioria. E a quem o Estado deve defender?
abraço

Confesso que não entendi o título “xixi do tigre” e também não entendi os 03 últimos parágrafos.
Pediria ao autor para desdobrar melhor o tema.

O Brasil é um país que tem a melhor liberdade de imprensa e a melhor imprensa. Já passei e morei em alguns países onde existe muita corrupção e o jornalismo destes países ignora totalmente.

Penso que nos EUA pode existir muito mais corrupção com desvios de verba pública que no Brasil. O problema é que nos EUA não se divulga e os norte-americanos me pareceram apáticos e distantes da política. Os hospitais públicos nos EUA são ruins e mal equipados. Gasta-se milhões com a guerra no Iraque porém os hospitais nos EUA estão em estado precário. A imprensa norte-americana não divulga isto.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Categories

Estatísticas do blog

  • 172,849 hits

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Join 846 other followers

Twitter Updates

%d bloggers like this: