Jehozadak Pereira.com

“Seu” vigário, o gritão

Posted on: November 26, 2007


Jehozadak Pereira

a cavalgadura*

“… Estes que têm transtornado o mundo, chegaram também aqui.”
Atos 17.6b

Numa determinada cidade de um Estado do Nordeste brasileiro,
Dezembro/1998.

… a cidade é muito católica, e em conseqüência, nela tem muito jogo de azar, muita prostituição (infantil, inclusive), muita cachaça etc, etc. ainda somos vítimas de perseguição que o catolicismo nos impõe, ainda as telhas do templo são quebradas a pedradas, ainda se juntam vândalos para berrar na porta do templo na hora dos cultos, ainda se juntam bandos de desocupados para nos ameaçar e tentar impedir que façamos os cultos ao ar livre em determinadas localidades. Mas, apesar disso tudo, até de minhas limitações, para a Glória do nosso Salvador, Deus tem salvo muitas almas e nesses três anos de ministério aqui, já foi quase triplicado o número de membros da nossa Igreja. … ainda vemos nordestinos de roupas esmulambadas, de sacos velhos nas costas, fazendo longas jornadas em caminhadas cruéis queimando a sola dos pés na poeira das estradas – assim canta na feira o violeiro cego“.

Na mesma cidade, dezembro/2000.

O padre manda em tudo, inclusive foi eleito agora vice-prefeito, então a cidade é muito católica, e em conseqüência disso, os homens ainda nos ameaçam e tentam nos impedir que preguemos nas ruas (especialmente na zona rural), mesmo assim, Deus tem nos protegido e abençoado de tal modo, que temos ganho almas em todos os distritos da zona rural da cidade, e até em cidades adjacentes. O padre tem seus “testas de ferro” em cada distrito, até no hospital e na cadeia, e tentam nos impedir, mas Deus tem-nos dado espírito de destemor e com veemência temos anunciado aqui o conselho de Deus. Escrevo-te isso, para que te lembres de interceder por mim e por tantos outros aqui, que por serem tão maiores que eu que Deus lhes tem dado o privilégio de serem mais perseguidos que eu; e peças a intercessão por nós, nas igrejas onde passares ai… Acabo de batizar 23 pessoas, e atribuo isso às orações de todos os amados, que como você, sei que oram por nós… “.

Diletos leitores, eu tenho lido e relido cada uma dessas linhas ao longo dos dias, e arrepio-me só de saber que atitudes como a do “seu” vigário ainda acontece em nossos dias. Será que o “seu” vigário não sabe que a nossa “vitamina” e o nosso “tônico” são a perseguição? Fico a pensar se o representante de sua santidade aqui na terra tem a noção do que faz?

Fico também me indagando o que tem a dizer os ecumenistas, aqueles que se juntam com os de Roma? Ou ainda o que tem a dizer o Ministério Público acerca das pressões e da perseguição que o “seu” vigário move contra os servos do Senhor? Digo isto porque o Ministério Público é sempre tão prestimoso em investigar a tudo e a todos. Ou ainda, o que tem a nos dizer a CNBB- Conferência Nacional dos Bispos no Brasil .

Provavelmente nada.

Imagina se eles vão se importar com uns “pastorzinhos” (como eles dizem), perseguidos por gente sua (que eles consideram da melhor estirpe). “Seu” vigário, age como um coronel, dos tempos do império, achando que tem a primazia de falar das coisas de Deus, e para isto procede como um cangaceiro maltratando e mandando açodar a Igreja do Senhor Jesus. Age assim porque sabe que não será incomodado por ninguém. Nem pela autoridade do lugar, mesmo porque a sua palavra deve ser a lei vigente, e muito menos pelas autoridades federais. E para isso usa a impunidade que a batina lhe garante.

Vou omitir o nome do meu dileto amigo que bem poderia estar à frente de qualquer grande igreja do sul do Brasil, não o tivesse Deus mandado ir pregar a redenção àquelas plagas nordestinas, tão maltratadas e carentes da graça e misericórdia divinas.

Outra coisa que tem me assaltado o pensamento, é sobre os motivos que levam um homem a enfrentar este quadro de coisas para levar alguém a Cristo. Sem dúvida alguma é o amor pelas almas. E posso apostar tudo que esses homens dariam a vida por isto. Sou forçosamente obrigado a perguntar ao “seu” vigário se ele daria a sua pelas suas ovelhas? Lógico que não. Para o “seu” vigário as (pobres) almas são pessoas a quem ele manipula distribuindo um quilo de farinha, um bocado de rapadura, ou ainda dando uma dentadura em período eleitoral para uns e um chinelo de borracha para outros.

Mas quem se importa com esses anônimos perseguidos? Numa época em que muitos pastores são mais conhecidos nas colunas sociais e pelo número de templos que os seus ministérios possuem, ou pelos luxuosos carros que dirigem – alguns tem chofer e segurança, pelas roupas que usam, pelo número de viagens que fazem ao exterior todos os anos (sempre em classe executiva, é claro, mesmo porque ninguém é de ferro), ou ainda pelos seus tediosos e mal produzidos programas de rádio e televisão.

Para informação, muitos desses perseguidos ganham entre R$ 30,00 a um salário mínimo por mês.

Por este motivo, diletos leitores, é que faço uso das minhas tribunas para denunciar a perseguição inaceitável e intolerante que o “seu” vigário – a cavalgadura, faz contra os escolhidos do Senhor. Será que o “seu” vigário não sabe que se conseguir derrubar um dos nossos logo virá outro mais destemido para pregar a redenção? Não foi assim ao longo da história?

Nós que já passamos por todo tipo de perseguição possível e imaginável. Já sofremos de tudo, e enfrentamos tudo. Vejam isto: “… os quais, por meio da fé subjugaram reinos, praticaram a justiça. Obtiveram promessas, fecharam bocas de leões, extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio da espada, fizeram-se poderosos em guerra, puseram em fuga exércitos de estrangeiros. Milhares receberam pela ressurreição, os seus mortos. Alguns foram torturados, não aceitando seu resgate, para obterem superior ressurreição; outros por sua vez, passaram pela prova de escárnios e açoites, sim, até de algemas e prisões. Foram apedrejados, provados, serrados pelo meio, mortos ao fio da espada; andaram peregrinos, vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos, maltratados (homens dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, pelos montes, pelas covas, pelos antros da terra
– Hebreus 11.33-38.

Já enfrentamos reis, príncipes, governantes, tiranos, ditadores, déspotas, homens sanguinários, arrogantes, violentos e cruéis. E os vencemos todos. Portanto, não será um vigário gritão e insolente que nos fará correr.

Vamos continuar falando de Jesus Cristo, querendo ou não o “seu” vigário.

Esta é a razão da nossa fé!

*pessoa estúpida

Copyright©2003 – agosto/2003.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Categories

Estatísticas do blog

  • 173,210 hits

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Join 846 other followers

Twitter Updates

%d bloggers like this: